sábado, 26 de junho de 2010

Frida khalo - A Pintora do Século

Aniversário da Frida Kahlo - A PINTORA DO SÉCULO
Hoje, dia 6 de julho, o Google está homenageando esta artista imcomparável.
Fico contente por estar comungando do mesmo pensamento sobre
a importância que a Frida Kahlo tem dentro da história das artes plásticas;
uma atividade, onde só pintores do sexo masculino é que são lembrados em grande estilo.

Por ser incompreendida por alguns, a sua arte foi polêmica e ainda é nos dias de hoje; e não poderia ser diferente,
tal a força da sua expressão, ousadia e criatividade.

Então, é natural a polêmica; Afinal , eu concordo quando dizem que toda unanimidade é burra!!

A OBRA DE ARTE PASSA PARA NÓS A BELEZA DO VIVER OU A TRAGÉDIA DO VIVER (Fayga Ostrower)

Postado por iduarth às Terça-feira, Julho 06, 2010



Frida Kahlo. A Pintora do Século XX
O que dizer?
Não quero cair na redundância e nem tampouco copiar o que já foi dito.
Ela viveu e conviveu 47 anos com muito sofrimento: eu não conseguiria pintar bonito naquelas circunstância:  Doenças desde a infância, deficiência física, sofreu acidente, decepções amorosas, frustração de não poder ser mãe... está tudo na história e expressa de forma muito forte, contundente mesmo, na sua arte agressiva e na maioria das vezes, chocante. Talvez por tudo isso tenha sido uma artista sem precedentes, que só pode ser entendida e apreciada conhecendo-se a sua tragetória pessoal.
Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón, nasceu à 6 de julho de 1907, em Coyoacán - na época, pequena cidade nos arredores da cidade do México. Em l954 foi encontrada morta, (talvez, de embolia pulmonar)

Até breve.                                      
                




 Andre Breton: "...Acrescento que também não existe outra (pintura) mais exclusivamente feminina , no sentido de que, por ser a mais tentadora, ela prazeirosamente consente em se fazer alternadamente a mais pura e a mais perniciosa...A arte de Frida é um laço de fita em torno de uma bomba".

domingo, 20 de junho de 2010

Homem Animal

Fiz este poema, que foi publicado no jornalzinho
da Faculdade de Serviço Social de Alagoas :

Foi feito em hora de fome
e nasceu criança com fome
fome de tudo... enfim
Foi sofrendo, foi passando
e de tanto passar fome
seu rosto virou macaco
Foi sofrendo, foi passando
e de tanto passar fome
suas mãos viraram gato
Sendo preso, enjaulado,
transformou-se em leão
Foi sofrendo, foi passando,
foi vivendo como um cão
até cair na sarjeta
virou verme...e morreu.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Artes Plásticas e Poesias

Compor uma poesia, é como pintar um quadro: todo o sentimento, toda a emoção, ficaram lá , quando ele foi terminado. No máximo, tudo se dilui gradativamente, até perder a força inicial, geralmente, em poucos dias. Impossível guardar através da vida, tudo o que se sentiu ao produzir uma obra de arte.

Sentir sempre a mesma emoção ao contemplar os quadros pintados através dos anos, 300, 500, 1000 trabalhos, ninguem suportaria. Com a poesia, é a mesma coisa; a vida seria um inferno, revivê-la com a mesma intensidade do momento da composição.

É muito comum as pessoas se emocionarem ao observar especialmente uma obra de arte. Acontece quase sempre que o autor da mesma, fica como simples espectador do momento; sem saber algumas vezes, o que dizer ou explicar, até porque não tem graça nenhuma dar explicações. A emoção agora, é do outro, porque a do artista já passou.

Das poesias que venho registrando aqui, só uma até agora, é recente, porque nas outras, eu já fui!!...

A propósito... já enviei para alguém, um poema totalmente impróprio e constrangedor: era uma pessoa amiga e eu estava apenas testando as ferramentas do Orkut. Só percebí a besteira, vários dias depois e tarde demais...rsrs, Não percebí antes, porque aquele poema, através dos anos, ficou sendo para mim, um texto comum.

Enfim, reviver o passado, só para distrair um pouco, brincar um pouco, corrigir alguns erros, rir do momento que passou e até de mim mesma (o que já é muita coisa), porque ninguem é de ferro...

FUI!!...

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Em busca do meu Tempo...

Hoje a tarde, estava eu terminando de pintar um quadro,
atendendo a uma ânsia interior de ocupar a mente,
que insistia em divagar pra lugar nenhum.
De repente, parei nesse tempo e só então percebí que chovia.
Daí...

Tantas coisas quiz fazer
e nunca fiz
e as coisas que eu quiz ser
e nunca fui?
Também coisas desejei,
não consegui...
.............................
Olhando do meu terraço
eu vejo a chuva cair
vejo os pingos ritmados
acompanhando a música
que só agora, passei a ouvir.
Simples, tudo muito simples
mas, longe de ser banal.
Oh, meu Deus!
como é possível
nunca ter visto, afinal
algo tão lindo e singelo ?
............................
Mas... agora já sei porque
Eu estava divagando
dentro do meu castelo...